Cantem ao Altíssimo uma nova canção, pois ele fez maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a salvação. O Senhor fez conhecida a sua salvação, e  aos olhos da humanidade manifestou sua justiça. Ele se lembrou de seu amor e fidelidade para com os filhos de Israel. Os confins de toda a terra viram a salvação do nosso Deus. Terra inteira, aclame ao Senhor, grite de alegria, alegrem-se e cantem louvores (…) Batam palmas os rios, e as montanhas juntas aclamem de alegria, diante do Senhor, pois ele vem para governar a terra. Ele julgara o mundo com justiça, e os povos com retidão. (Salmo 98: 1-4; 8-9) 

Sobre a Comunidade de Taizé

TAIZE-KAPEL.jpg

A Comunidade de Taizé é uma ordem monástica ecumênica da frança, composta por mais de cem homens provenientes de várias tradições religiosas, entre elas, católica romana e protestantes. Foi fundada em 1940, pelo Irmão Roger, um pastor protestante reformado suíço. Movida pela adoração contemplativa, pela simplicidade e pelo espírito ecumênico da reconciliação, a Comunidade de Taizé se tornou um dos principais locais de peregrinação cristã no mundo. A comunidade recebe em média 100 mil  jovens de todo o mundo para a prática da oração, estudo bíblico, fraternidade e trabalho comunitário.

Penso que, desde a minha juventude, nunca perdi a intuição de que uma vida em comunidade pode ser um sinal de que Deus é amor; só amor. Pouco a pouco crescia em mim a convicção de que era essencial criar uma comunidade de homens decididos a dar toda a sua vida, e que procurassem sempre compreender-se mutuamente e reconciliar-se: uma comunidade onde a bondade do coração e a simplicidade estivessem no centro de tudo. (Irmão Roger, Deus só pode amar, pág. 40)

Um pouco da história

brother-roger

Tudo se inicia dentro do contexto da Segunda Guerra Mundial. O Irmão Roger deixa a Suíça, para viver na França, país muito afetado pela guerra. A razão pelo Irmão Roger ter deixado a Suíça, foi pelo fato de que tinha certeza de seu chamado para auxiliar aqueles que passavam pelos duros tormentos ocasionados pela guerra. A França derrotada seria uma oportunidade para serem aplicados os princípios do evangelho: amar e ajudar os nosso irmãos, sobretudo os que estão em sofrimento, necessitando de auxílio e refúgio.

Em Setembro de 1940, Roger compra uma casa abandonada em Taizé, que viria a ser a Comunidade de Taizé. Este local simples e com poucos recursos, se tornou um porto seguro para inúmeros refugiados da guerra que buscavam um abrigo. O irmão Roger costumava orar e cantar sozinho em um bosque, para não causar constrangimento aos refugiados agnósticos e judeus que eram acolhidos.

Após a libertação da França, outros homens entraram para a comunidade, alguns deles católicos romanos, anglicanos, luteranos e evangélicos; não se fazia distinção alguma entre pessoas e suas respectivas tradições religiosas.  O comprometimento destes homens eram sinalizar a presença de Cristo na Terra, vivendo em comunidade com os princípios da simplicidade e da reconciliação.

A “Espiritualidade de Taizé” como uma proposta de adoração ecumênica

celebracao-de-taize
Celebração de Taizé na Catedral de São Tiago, Curitiba, Paraná.  (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil)

“Oro não apenas por eles, mas também por todos os que crerão em mim, por causa deles e do testemunho deles a meu respeito. O alvo para todos eles é tornar-se um só coração e uma única mente – Assim como tu, ó Pai, és em mim e eu em ti. Para que possam ser um só coração e uma única mente conosco. Então, o mundo poderá crer que tu, de fato, me enviaste: A mesma glória que me deste eu dei a eles. Para que eles estejam unidos como nós estamos – Eu neles e eles em mim. Assim, eles amadurecerão nessa unidade e darão evidência ao mundo mal de que tu me enviaste e os amaste do mesmo modo que amaste a mim” ( João 17: 20-23 – A Mensagem) 

“Pois Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo, não levando em conta as transgressões dos seres humanos, e nos encarregou da mensagem da reconciliação”  (2° Coríntios 5:19)

“E por intermédio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão nos céus, estabelecendo a paz pelo seu sangue vertido na cruz.” (Aos Colossenses 1:20)

No primeiro momento, as primeiras coisas que são notadas numa “adoração de Taizé” seriam os cânticos/mantras meditativos e o modo de ser cantado, velas, ambiente silencioso e reverente, os ícones religiosos e a preparação do local de oração. Por trás  de todos estes distintivos litúrgicos que envolvem a forma de adoração de Taizé, existem princípios mais profundos que fundamentam a espiritualidade de Taizé.

A história desta comunidade, nos revela que uma espiritualidade viva, nos impulsiona aos caminhos da reconciliação, caridade, solidariedade e justiça (Tiago 1:27). Cremos que Deus, na pessoa de Jesus Cristo, estava reconciliando a humanidade inteira à Deus. Por consequência disso, o caminho de Cristo  é o caminho pelos quais todos os homens e mulheres  são chamados para serem reconciliados à Deus e uns com os outros. O mistério da reconciliação foi deixado por Cristo aos seus seguidores, para que fossemos um, como ele e o pai são um. Isso significa que os fatores que separam os cristãos, e também toda a humanidade, não fazem parte da mensagem do evangelho de Cristo.

Quando um grupo de pessoas, de diferentes confissões religiosas, se reúnem pela adoração comunitária, pela prática da solidariedade e  a defesa da justiça, significa que este grupo passou a entender que o evangelho de Cristo é muito mais que as barreiras das instituições religiosas. O ecumenismo parte do entendimento de que a unidade que Cristo pede aos seus seguidores, está acima das imperfeições humanas e institucionais, e que a fé cristã exige práticas que confrontam sentimentos egoístas e de omissão ante ao sofrimento humano. A “Espiritualidade de Taizé” portanto está além do que a aparência litúrgica revela, e não há como se praticar uma adoração inspirada nessa espiritualidade se não houverem os princípios da caridade e do ecumenismo. O Irmão Roger nos deixou um grande legado para toda cristandade, agradecemos a Deus pelo seu testemunho.

 

Oração

Querido Pai Universal, dá-nos uma espiritualidade semelhante a dos irmãos de Taizé, para que tenhamos forças para levar o evangelho da reconciliação, da unidade, da justiça e a paz para toda a humanidade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amem

Bibliografia

Bíblia Sagrada.

http://www.taize.fr/en_rubrique2602.html  acesso em <03/09/2016>

Anúncios